Leuda de Moura

SALVEI UM ANIMAL

Embu, São Paulo – Brasil
Relato: 02 de março de 2005

“Oliver é um mesticinho de poodle. De todos os 10 que resgatei, a dele é a história mais triste. Alguém do bairro, sabendo que morro de pena de animais, veio me dizer que viu um cachorrinho ser atropelado por uma moto e que se embrenhou nos matos. Moro em Embu/SP, região de chácaras. Perguntei em qual local. Andei, procurei e nada! Depois de 20 dias, voltando do centro de Embu, tive que parar o carro na entrada do meu bairro, pois tem um córrego, e a tempestade de raios, relampagos e uma chuva torrencial inundava a passagem, junto com a água do córrego. Fiquei parada esperando a agua baixar. De dentro do carro, com os vidros fechados, vi um vultinho todo encolhidinho, e eu não conseguia distinguir, devido à chuva, se era um toco queimado de árvore ou se era um cachorrinho preto. Calcule o meu desespero! Quando o vidro desembaçou, pude ver que o “toco” de árvore respirava! Ele estava deitadinho numa ribanceira, a água já quase o alcançando. Resgatei-o com uma amiga que também tem compaixão por esses inocentes. Foi um verdadeiro drama pegá-lo. Estava nas últimas, foi atropelado, cheio de bicho, um cheiro insuportável, todos esses dias se escodendo pelos matos, doente, com fome! Estava tão desnutrido que os olhos já estavam completamente opacos. Pensei até que fosse cego! Felizmente era só maltrato. Hoje em dia vive muito feliz – é o meu querido e doce Oliver! Belíssimo, autoritário por ser o único varão do pedaço, castrado, como todas as outras, mas é metido a machão! Da historinha triste que viveu, em sua cabecinha, que eu creio seja governada por seres superiores, não existe tristeza nem lembrança ruim desse passado tão cruel.” 

Anúncios