Ana de Assis

SALVEI UM ANIMAL

Maringá, Paraná – Brasil
Relato: 04 de fevereiro de 2005

“Encontrei Neguinha na praça da Catedral, em Maringá – Paraná. Estava triste, deitadinha no gramado da igreja, desfrutando da única coisa que tinha no momento: o frescor da grama dos padres e o sol que, naquele momento, aquela cadelinha pretinha teve a certeza de que ele realmente tinha nascido pra todos.

Agarrei Neguinha pela cintura e a levei comigo. Todos os domingos nos reuníamos na praça da igreja onde vendíamos roupas usadas, com outras voluntárias, para pagar os veterinários que nos atendem, principalmente para castrações.

Neguinha foi operada de hérnia e, por ter sido atropelada anteriormente ao seu resgate, a quantidade de fio usado em seu corpo para unir a pele que envolvia os seus órgãos daria para fazer uma blusa de crochet tamanho G. A pele que reveste os órgãos internos rompeu-se, deixando-os soltos e desprotegidos ao menor corte que ela pudesse ter, mas nada aconteceu e Neguinha, além de ter sido operada da hérnia e ter a pele protetora dos órgãos reparada, foi também castrada. Tudo, em pouco tempo, parecia estar excelente, mas…

Neguinha não nos deu tempo para vaciná-la…e começou a apresentar os terríveis tiques. Hoje vive em minha casa… não foi doada como seria meu plano. Tem uma seqüela de cinomose cruel que a impede de beber água ou alimentar-se. Tudo é feito através de seringa. Mas Neguinha não se entrega… Aprendeu a beber água, pelo menos molha a boca como os pássaros, levantando rapidamente a cabeça e esticando o pescoço para a água descer garganta abaixo. Não consegue morder a ração… mas adivinhe… fica com as bolinhas de ração na boca até que elas se dissolvam e de novo estica o pescoço o mais que pode… assim o caldinho da ração desce goela abaixo. Toma Gardenal 2 vezes ao dia e me recebe alegremente com o abanar do rabinho robótico cada vez que chego.

Neguinha impõe-se perante o outro cão – Salsichinha – e corre atrás dos meus gatos… toda cambaleante… os gatos morrem de medo. Eles não sabem que ela não consegue abrir a boca.

Esperem, nem tudo está perdido… Outro dia, Neguinha foi brigar por um prato de comida, que nem era dela… e conseguiu latir, coisa que não fazia desde que ficou doente. Outro dia fui ao veterinário e ele me disse que deveria tentar a acupuntura, pois tem dado ótimos resultados em seqüelas de cinomose. Depois me perguntou: …”E Neguinha, ainda está viva?” Então eu disse: “Neguinha ainda vai enterrar muita gente”… 

NEGUINHA É VIRA-LATA, COMO TODO BOM BRASILEIRO… E BRASILEIRO NÃO DESISTE NUNCA!

P.S: Neguinha tem ótima audição, me acompanha pela casa toda. Adora cheirar novos amigos, ama filhotes e é super obediente. Sou totalmente contra a eutanásia. QUEM AMA NÃO MATA!”