Entrevista – Randall Cannon

Médico Veterinário vegano e ativista ensina sobre o verdadeiro respeito pelos animais.

Randall Cannon é um médico veterinário vegano de Orlando, Flórida (EUA). Em uma entrevista concedida ao blog Vegans Are Cool, Randall conta suas perspectivas em relação aos animais:

1 – O que o inspirou a se tornar vegano?

Minha inspiração de me tornar vegano foram, sem sombra de dúvidas, os animais. Saúde e benefícios ambientais são consequência. Eu cresci numa família que caçava até eu completar 20 anos. Como a maioria das pessoas, eu olhava para os animais como uma fonte de prazer pessoal, tanto com relação ao sabor como para esportes. Quando eu entrei na Escola de Veterinária, eu já me importava com os animais, mas de uma maneira bem egoísta, olhando-os mais como uma propriedade do que como um ser dotado de alma – eu amava animais mais pela alegria que eles me traziam. Eu fui treinado junto à indústria pecuária e tinha conhecimento pleno dos horrores que envolviam trazer os produtos de origem animal para a mesa. Eu era capaz de manter a minha cegueira e continuar a comer carne todos os dias por mais ou menos 10 a 12 anos durante a minha carreira. Entretanto, em algum lugar, no meio do caminho, meus pacientes mostravam-me continuamente que eles eram especiais, se não mais especiais que os humanos. Eles certamente tinham as almas puras. Eu comecei a olhar os animais como seres verdadeiros que mereciam toda a dignidade e direitos a serem dados pelos humanos. Eu gostava muito de bife – filé mignon era meu favorito. Depois de uma boa refeição, eu era sempre assombrado pela visão do olhar de uma vaca, o olhar de uma vaca inocente.

A hipocrisia de trabalhar todos os dias para salvar um cachorro ou um gato e chorar quando eu não os podia salvar, mas chegar em casa e comer um bife começou a me incomodar. Eu desisti de comer carne a mais ou menos uns oito, nove anos atrás, mas eu continuei a comer peixe diariamente até há um ano atrás, quando eu finalmente admiti os horrores da indústria como um todo. Agora, eu percebo que eu não tenho o direito de usar os animais pelo seu sabor, moda, conveniência ou diversão, nem mesmo posso sentar-me em paz enquanto os animais sofrem abusos por humanos.

2 – Na sua opinião, como doutor, você vê sua dieta vegana como saudável?

Como alguém que teve uma educação médica, a despeito de veterinária, eu acredito de coração que uma dieta vegana seja uma escolha saudável para humanos. Eu não me tornei vegano pela saúde, mas por razões éticas. O bônus, para mim, é que a minha saúde melhorou e muito. Eu tenho 46 anos e eu não preciso mais de remédios para colesterol, estou no peso ideal e em boa forma. Quando eu consumia produtos animais, eu sofria de indigestão e frequentemente acordava no meio da noite para tomar antiácido, entretanto, desde que adotei o veganismo, o problema se resolveu. Eu encorajei pessoas a lerem o “The China Study” para que elas entendessem o quão ruim os produtos animais são para a nossa saúde. Eu olho para os meus amigos veganos e eu estou sempre espantado com a sua juventude, comparada com a população em geral.

3 – É bem estranho que não haja ainda mais veganos no mundo. Minha avaliação de que veterinários amam animais e não gostariam de vê-los sofrer no processo industrial está incorreta?

Eu acho estranho também. Como muitas pessoas, veterinários são capazes de usar vendas e ignorar o que eles sabem a respeito da indústria pecuária. Eu participo de um programa de educação continuada com aulas mensais e que ocorre num restaurante carnívoro. Eu sou o único vegetariano que pede comida vegana. Eu sento na mesa com veterinários envelhecidos e acima do peso e que pedem por bifes e raramente (…) um deles uma vez mesmo disse que queria que o bife mugisse quando batesse no seu prato. Eu não falo nada quando estou na mesa. Eu não os acuso de serem más pessoas, mas eu afirmo a hipocrisia do especismo (…), que nós trabalhamos o dia inteiro cuidando de cachorros e gatos, mas não damos a mínima para o gado, baleias, golfinhos em parques, animais de circo etc, entretanto eu mordo a minha língua e tento alcançá-los pelo coração. Eu espero que um dia os veterinários lutem pelos direitos dos animais, ao invés de defenderem instituições que nos doutrinam com noções de que é nosso direito usar os animais.

4 – Animais como cães e gatos podem ser veganos? Qual é a melhor dieta para nossos animais?

Eu acho que dietas veganas para animais são seguras para alimentar cachorros. Para gatos, sendo eles verdadeiros carnívoros que requerem proteína animal, é uma história bem diferente. Eu não tenho experiência pessoal com dietas veganas felinas, mas estou pesquisando sobre o assunto.

5 – Em adição ao seu trabalho veterinário, você também está envolvido com o movimento dos direitos animais. Você pode nos contar um pouco sobre os projetos que você está envolvido e sobre o que você está fazendo?

Desde o momento em que eu pude retirar minha venda e reconhecer os horrores da pecuária, comer uma dieta vegana não foi suficiente. Eu não posso sentar tranquilamente enquanto os animais nascem para viver um inferno e têm seus corpos cortados para nossos prazer, conveniência, moda e diversão. Eu ativamente tento mostrar às pessoas a realidade de suas escolhas e mostrar-lhes a hipocrisia de amar cachorros e gatos, mas participar da indústria pecuária. Eu estou certo que eu ofendi várias, mas eu sempre penso que é melhor ofendelas do que não apoiar os animais que não têm voz. Eu realmente não me importo se ofendi alguém que não se importa de maltratar animais inocentes das piores maneiras possíveis. Saia dessa e enfrente a realidade. Eu também estou envolvido com grupos locais de direitos animais, como a ARFF e frequentemente participo de protestos em lojas de animais, circos, “Sea Worlds” e caçadas com cães. Eu também adoto animais da minha clínica e distribuo livros veganos. Eu acredito que não basta só cuidar, é preciso agir!

6 – Você tem alguma dica sobre como nós podemos proteger a saúde de nossos animais?

Procure um veterinário vegano (…) ele sempre verá o interesse do animal e de coração. Dê muito amor ao seu amigo, faça exercícios e dê comida fresca. Aprenda sobre suas doenças e problemas. Tutores bem educados têm animais saudáveis.

7 – Se você tivesse uma mensagem para o mundo sobre como devemos nos comportar em relação aos animais, qual seria?

Isso é bem difícil, pois eu tenho muitas mensagens. Eu acho que os animais gostariam que a gente soubesse que eles são muito mais inteligentes e conscientes do que nós nos damos conta (…) que eles sentem dor emocional no mesmo nível que nós. Separar um bezerro de sua mãe a machuca tão profundamente como quando um bebê é tirado de sua mãe humana. Encaminhar o gado para matadouros gera tanto medo e horror da mesma forma que humanos sentiram quando foram levados para campos de concentração e encaminhados para os “banhos da morte”. Não é sobre superioridade e quem é mais inteligente; é sobre seres sencientes experimentando dor e sofrimento. Eu testemunhei o sofrimento dos animais da indústria pecuária (…) é real e horrível. Qualquer veterinário que nos diz o contrário é um mentiroso ou distorceu a sua visão de sofrimento e assassinato.

8 – Tem algo mais a comentar?

Eu ainda não encontrei uma pessoa que tenha se tornado vegana porque não gostava do gosto de carne. É realmente deprimente se você valoriza mais as suas percepções, moda e diversão do que o sofrimento e as vidas dos animais. É assim muito simples. Como veterinário que salva as vidas dos animais todos os dias, a verdade é que você pode salvar mais vidas do que eu nunca pude, simplesmente tornando-se vegano (…), sem diploma requerido! A ironia de tudo isso, dos humanos matando animais, é que ultimamente, o consumo que fazemos deles é o que nos está matando.

 Por Camila Arvoredo